Resultados de Pesquisa

Prestação da casa indexada à Euribor a 6 meses volta a descer em junho

Posted by on Maio 31, 2017
| 0

Há quase dois anos que as prestações da casa têm estado a cair, acompanhando a queda das taxas Euribor.

Cliente que tenha um empréstimo no valor de 150 mil euros a 30 anos, indexado à Euribor a seis meses com um 'spread' (margem de lucro do banco) de 1,0%, vai passar a pagar 465,36 euros a partir de junho, menos 2,43 euros do que na prestação anterior..

Os clientes com crédito à habitação indexado à taxa Euribor a seis meses vão voltar a pagar menos ao banco em junho, enquanto aqueles que tenham contratos com taxa a três meses deverão manter o valor da prestação.

Segundo os cálculos feitos para a agência Lusa pela Deco/Dinheiro&Direitos, um cliente que tenha um empréstimo no valor de 150 mil euros a 30 anos, indexado à Euribor a seis meses com um ‘spread’ (margem de lucro do banco) de 1,0%, vai passar a pagar 465,36 euros a partir de junho.

Este valor que representa menos 2,43 euros do que o que era pago em dezembro, aquando da última revisão.

Já no caso de um empréstimo nas mesmas condições, mas indexado à Euribor a três meses, esse cliente pagará 460,13 euros a partir do próximo mês, exatamente o mesmo valor de março, data da última revisão da prestação.

A média mensal da taxa Euribor em maio foi de -0,251% a seis meses, ligeiramente abaixo do valor de abril, enquanto a três meses foi de -0,329, praticamente o mesmo valor de abril (-0,330%).

Há quase dois anos que as prestações da casa têm estado a cair, acompanhando a queda das taxas Euribor, que negoceiam mesmo em valores negativos.

Em Portugal, 90% dos contratos de crédito à habitação usam taxa de juro variável, sendo a Euribor a seis meses o indexante mais usado, seguido da taxa a três meses.

As Euribor são fixadas pela média das taxas às quais um conjunto de mais de 50 bancos da zona euro está disposto a emprestar dinheiro entre si no mercado interbancário. Em Portugal, a Caixa Geral de Depósitos faz parte deste painel.

Fonte: Dinheiro Vivo